Angélica Coronel mostra a importância das TVs públicas e estatais

outubro 3, 2008
Angélica Coronel durante a palestra ao lado de Victor Folquening
Angélica Coronel durante a palestra, ao lado de Victor Folquening.

Encerrou nesta quinta-feira (2) o II Ciclo de Debates sobre Jornalismo e Novas Produções Universitárias na UniBrasil. A palestra foi dirigida pela mestre em Ciências da Comunicação Angélica Coronel, que possui experiência em TVs públicas. Trabalhou durante sete anos na TVE do Rio Grande do Sul e hoje é repórter da TV NBR de Brasília. Leia o resto deste post »


José Luiz Braga constata retorno sobre a mídia

outubro 2, 2008

Braga detalhou a existência de uma critica social sobre a midiaAo conversar sobre a mídia com o professor e pesquisador José Luiz Braga, fazemos parte do sistema de resposta social. Essa é uma das lições que se pode levar da palestra que Braga proferiu na noite dessa quarta-feira, no Auditório Edla Van Steen, no Bloco 1, da UniBrasil, como parte do II Ciclo de Debates Sobre Jornalismo Novas Produções Universitárias, que nessa edição teve como tema “O Andar da Crítica – Atuações Qualificadas Sobre a Mídia”. Leia mais…

José Luiz Braga é professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos (RS). Entre suas obras estão “O Pasquim e os anos 70: mais pra eba que pra oba” (UNB) e “A Sociedade Enfrenta a Sua Mídia: dispositivos sociais de crítica midiática” (Paulus) – leia resenha a seguir.

Leia o resto deste post »


José Luiz Braga defende abordagem diferenciada sobre crítica

outubro 1, 2008

por Henrique Fendrich

Como parte do II Ciclo de Debates sobre Jornalismo e Novas Produções Universitárias, que nessa edição tem como tema “O Andar da Crítica: Atuações Qualificadas Sobre a Mídia”, a Unibrasil promove nessa quarta-feira (1º/10) uma palestra, aberta ao público, com o professor José Luiz Braga, da Unisinos/RS. Braga é um dos maiores pesquisadores brasileiros em crítica midiática Em 2006, ele lançou o livro “A Sociedade Enfrenta Sua Mídia – Dispositivos Sociais de Crítica Midiática” (Paulus). Leia o resto deste post »


Folquening prevê danos de pequena monta

outubro 1, 2008

por Narley Resende

Enquanto os alunos aguardavam a chegada do convidado do primeiro colóquio do II Ciclo de Debates, o quadrinista André Caliman, quem roubou a cena  foi o professor, jornalista e escritor Victor Folquening. “E isso que eu nem tirei a roupa”, disse o professor, arrancando gargalhadas de quem o ouvia. Victor falava sobre suas experiências no ramo do jornalismo, quando revelou a intenção de escrever um novo livro em parceria com o também jornalista Dimitri do Valle. Leia o resto deste post »


Alguém tem que botar o pão na mesa

outubro 1, 2008

por Silwana Vicente

 

A segunda-feira (29) iniciou mais risonha para os alunos de Jornalismo do quarto período da Unibrasil. Os estudantes chegaram à faculdade para entrevistar André Calinan, quadrinhista da Revista Avenida e foram surpreendidos com uma mesa farta.  Bernadete Di Stefano, do 8º período, levantou às 7h e foi às compras. Quando os alunos entraram na Caverna, a mesa de café da manhã já estava posta. Leia o resto deste post »


Presenças cavernosas disputam o café

outubro 1, 2008

por Suzane Skroch

O II Ciclo de Debates sobre Jornalismo e Novas Produções Universitárias, das Faculdades Integradas do Brasil,  teve início na manhã de segunda-feira (29), com café da manhã, na Caverna do bloco 2. Estiveram presentes os estudantes do quarto período da manhã e os professores Maura Martins, Victor Emanuel Folquening, Felipe Harmata Marinho e Rafael Schoenherr. Do oitavo período, turma responsável em trazer convidados e organizar o evento, compareceram as estudantes Bernadette Di Stefano – responsável pela confraternização – e Gabriela Siqueira, coordenadoras de atividades culturais. O diretor do Grupo de Teatro Unibrasil, Alex Wolf, também marcou presença. Leia o resto deste post »


Bolo de laranja na manhã do Laranjeira

outubro 1, 2008

por Lucas Laranjeira

O dia começou atípico. Olhei rapidamente para a sala de aula enquanto ia para o laboratório de informática e vi que as luzes estavam apagadas. Pensei, estão todos no computador. Quando chego lá no terceiro andar, não vejo uma cabeça na janelinha das salas. Estranhei chegar atrasado, como de costume, e não haver ninguém por lá. Voltei para o térreo e fiquei esperando alguém aparecer. Logo o pessoal da sala foi chegando e nada do Rafael. Até fiz um lanche para aproveitar o tempo, goiabinha e água de côco. Leia o resto deste post »